sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A Terra Dos Adultos.

Muitas definições já foram postas à prova por mim ao longo dos meus escassos "quase 20 anos", eu sei que o fim da adolescência tem o modo de operar diferente, mais complexo mas, muito eficaz de arrasar com toda a réstia de pensamento coerente. Há dias que ainda não sei o que estou a fazer com a minha vida, quais são os planos, o procedimento e isso assusta qualquer pessoa mas particularmente, o meu ser criativo e permanentemente danificado.

Posso ser critica e muito sintética sobre tanta coisa, menos o que eu quero fazer com a outra parte da minha vida, aquela parte que tenho tentado evitar tantas vezes. Não quero aceitar que estou a caminhar lentamente para "A Terra dos Adultos", a terra em que todos os sonhos que tens para ti se tornam irrealidades permanentes. 

Eu sei que estou a dramatizar, mas que mais posso fazer do que entrar em pânico e ter um bloqueio mental. 

A pouca (ou nenhuma) criatividade pode ser um problema.

Criatividade não corre nas veias, durante muito tempo a inspiração para mim eram sentimentos tristes, ou comportamentos mal interpretados. Mas há momentos em que a minha vida estagna e a inspiração e criatividade vai embora, podem passar meses sem conseguir escrever uma frase que faça sentido ou que seja boa o suficiente para partilhar com quem lê. 

Essa fase sem criatividade não é uma fase em que a minha vida está bem e organizada, mas sim um paradoxo de horas para dias e dias para meses, chego a ponto de perguntar se continuarei a escrever. Não tenho vontade, não tenho assunto e principalmente não tenho questões ou indignações  apenas uma calma forçada pelo meu subconsciente.

Mas como tudo tem um fim (e ainda bem), o meu mundo começou a girar novamente e para variar o seu eixo esta mais baralhado que nunca.

domingo, 28 de julho de 2013

Ser livre aos meus olhos.

O normal é dizeres que não, eu disse que sim. O normal é estar mal por errar e isso pago cada pedaço de culpa, cada pontada de culpa engulo em seco e sorrio para ninguém saber que, se a vida fosse o tal julgamento eu teria que cumprir pena. 

Arrependimentos? Nenhuns. Porquê? Porque foi assim que encarei a vida. Sem nenhuns, vim do nada, para o nada vou, qual é a razão para me arrepender das asneiras do que faço aqui? Sei que o mundo não é centrado em mim mas para estar bem é assim que tem de ser. Na minha família toda o é, são os genes.

Sou livre, tão livre como vim ao mundo pela primeira vez, quero ver o mundo, quero sentir o vento todos os dias sem ter que desviar o cabelo só porque alguém pode estar a ver e achar feio. Eu sou especial, na minha maneira de ver as coisas, na minha maneira de viver as coisas, não sou especial para ser melhor que os outros, como muita gente. Eu sou especial porque querer ser livre até que alguém compreenda que nunca me pode roubar isso sem matar-me. 

Ser livre não é ter que enfrentar o mundo sozinho é olhar para ele sozinho mas com muitos olhos a olhar para ti e a desejar serem como tu. 

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Momentos #12


Aquele momento de diva quando entramos em algum sitio cheio de gente conhecida. 

O Jogo do Tigre e da Calma.

Jogar um perigoso jogo de dúvidas e manipulações, mentiras e meias verdades é coisa que não quero. Coisa que admito ter feito, ter sentido prazer em fazer mas não ter gostado do resultado e das consequência que para mim e para as pessoas que estavam à minha volta tiveram que sofrer.

A raiva dentro de mim está a passar, trata-se de um tigre que guardo dentro de uma jaula, alimento o com a raiva dos outros e acalmo com a minha felicidade, quando ele sai da jaula é porque teve que sair não sei controlar isso ainda muito bem. 

O cuidado que tenho comigo é redobrado, sou feliz agora, tenho tudo o que posso e mais não quero, sou boa dentro dos possíveis, mas nem sempre o tigre gosta de ser pisado na cauda. 

domingo, 12 de maio de 2013

Obrigado pelos sorrisos.

Chega o dia em que o mundo mostra a vivo e a cores que a vida que nos deram pode ser tirada, ninguém tem uma vida duradoura por estes lados.
Hoje perdi alguém da minha família, uma pessoa que já tenha idade avançada e que nos anos de juventude trabalhou para que os filhos pudessem sonhar em dar aos seus o que ele pretendia dar a eles, este senhor construiu uma família e foi bem sucedido, filhos bem criados, quatro netos fortes e capazes e uma neta que é o meu orgulho e quatro bisnetos três delas raparigas.
Mas uma família nunca foi quantidade, mas sim os valores que foram embutidos, todos eles são diferentes e nenhuma família é perfeita , mas hoje todos sofrem pela mesma razão hoje.

Eu choro, mas não pergunto porque, eu tenho a resposta por isso em vez de me lamentar vou honrar a minha lembrança dele..

Esta bisneta também tem sonhos e aqui prometo que memoria dele vou lutar com mais força e trabalho para os conseguir.

Obrigado pelos sorrisos.


segunda-feira, 22 de abril de 2013

Pontos Altos.

De todos os momentos que passei acho que o ponto alto da minha vida ainda não aconteceu, começo a pensar se ele passou e não notei por estar com a cabeça literalmente enfiada na areia, já senti nostalgia em repetir alguns dos passos que dei quando era mais nova, mas nada marcante. Nada digno de se chamar de ponto alto. 

Perguntei aos meu pais se já tinham tido aquele sentimento de familiaridade, trazido por um cheiro, por uma cor, por uma canção ou por um lugar, a resposta foi que sim, várias vezes. Depois perguntei qual foi o ponto alto da vida deles, a resposta foi a que esperava, o meu nascimento e o da minha irmã. 

Mas não queria saber a resposta óbvia, queria uma resposta genuína.
Quando um filho meu perguntar qual foi o ponto alto da minha vida, quero responder com uma história em que realizo um sonho, quero que o meu filho veja nos meus olhos que o mundo pode ser interessante, que mesmo nos dias piores irá sempre sair algo de bom para compensar. 
Apesar de no fim dizer como todo o pai e toda a mãe...

...mas primeiro que tudo foi o teu nascimento. 


terça-feira, 9 de abril de 2013

Feridas do corpo.

Uma ferida aberta doí, está vulnerável ao ambiente que a rodeia, pode infectar ou pode sarar sem grandes danos ao corpo. Mas o problema está em outra ferida e essa foi aberta mais vezes do que devia, foi exposta mais vezes do que estava à espera, e que desta vez vai ser aberta num ambiente imundo e cheio de raiva.

O corpo onde está a ferida não se sente em condições, está debilitado e em dor permanente causado por outras complicações, como é que esperam que esse corpo sobreviva sem mais danos quando a dona dele está disposta a expor mais do que ele tem vontade de se expor. 

Mas no fim do dia, toda a gente anda na rua com feridas abertas, com historias para contar e problemas para resolver, por mais que o corpo não queria à que superar o medo, enfrentar com dignidade o que vêm ai e tentar sobreviver sem mais danos. 

"Quando olhares para mim não vou ser a rapariga que viste a primeira vez, mas sim a mulher que te amou pela ultima vez"  

 

sábado, 6 de abril de 2013

Amigos até que a vida nos separe.

Sonhamos com amizades para sempre, que passaram o corpo físico e que toquem a alma de quem queremos como amigos, mas nem sempre as ordens do destino fazem com que isso seja verdade. Eu tenho bons amigos, tão bons que há dias em que penso que são um sonho. 

Não podemos ser eternos sonhadores, assim como não podemos ter pessoas presas a nós para sempre, os anos vão passando e a cada dia entendo mais como as coisas devem ser. Tu tens um amigo, esse amigo tem uma vida, ele vive a vida até que a vida dele não passe mais por a tua. 

A culpa é partilhada pelos dois e se tivesse dito que ninguém tem a culpa estaria a mentir, é preciso mais do que o tempo para "destruir" uma ligação verdadeira e eu sei que a tínhamos, mas entendo tudo agora. A vida é assim mesmo. 

Quero que estejas bem e sei que queres o mesmo para mim porque no final do dia eu sei que serás sempre quem foste, uma grande parte da minha vida e é a isso que me agarro quando o resto está um pouco turvo.


sexta-feira, 5 de abril de 2013

Não sei o que esperar do futuro.

É tudo uma incógnita que não sei lidar, porque tudo à um tempo atrás, era simples, acordava, tomava banho, ia para a escola, lidava com pânico por estar exposta, e depois vinha para casa e já podia respirar. Agora não sei, perdi a vontade e a iniciativa, não gosto do curso e isso está a matar a minha força de vontade para tudo o resto, é como um veneno que me suga a energia que tenho. Dei isso a conhecer ao meus pais, estamos a trabalhar numa solução. 

Quanto à escrita ainda não sei como dizer  quando estou para dizer a minha garganta encrava, fica seca e tenho que engolir o que lhes ia dizer. Tenho medo que eles achem estúpido e que digam que não é um futuro, mas não estou a pensar em não trabalhar só para me dedicar à escrita, só cria que ele soubessem.

Em breve vou a um psiquiatra, por mais que tente não consigo estar contente e não penar em me cortar, apesar de não o fazer à um tempo, tenho medo que algo me leve ao limite e acabe por fazer pior, a minha mente está tão baralhada e escura que nem um farol a iluminava. Sinto-me numa posição desconfortável perante o mundo, tanto estou bem como pior a seguir. 

Enfim, tirando isto tudo tenho uma jantar de aniversário em que me vou sentir desconfortável e possivelmente à beira de um ataque. Prometi que não ia beber para compensar o desconforto, mas ...

não sei o que me espera no futuro.     

domingo, 31 de março de 2013

Momentos #11


Aquele momento em que estás tão cansado/a que já não consegues fazer qualquer sentido.


sábado, 30 de março de 2013

F**k you MUNDO !


No mundo existem várias situações para as quais não estamos preparados,  e são as piores e as situações que nunca vamos esquecer por mais que os anos passem. Quando isso acontece grito ao mundo o quando o odeio, o quanto ele está a magoar me e tenho um monologo sobre injustiça e baixas expectativas sobre a existência da nossa raça. 

E no fim para que o mundo perceba bem a minha perspectiva faço um gesto assim:




Ser feliz vs Ser normal


Há dias que o meu futuro é incerto e a fina linha que separa o meu dever como um ser humano normal e o que eu quero realmente fazer da vida é esborratada por uma lágrima de esperança perdida. 

Quando somos pequenos queremos ter várias profissões tais como ser veterinários,  bombeiros ou médicos, mas como eu nunca fui uma criança normal e sonhava fugir dos padrões da sociedade as profissões que eu queria ter não eram normais. Como por exemplo, quando eu tinha 14 anos queria ser caçadora de vampiros, aos 16 queria ser médica legista e agora quero ser escritora, mas mais uma vez o mundo deu me uma estalada de realidade pura e dura. 

Eu sei que aos 14 era influenciada pela Buffy e que ao 16 estava a ser influenciada pelas series criminais como o C.S.I, só que agora é diferente porque a influencia é totalmente minha, sei que posso parecer um pouco idiota, mas até tenho jeito para as palavra, e tenho uma imaginação muito grande, acreditem, e escrever é a única coisa que me mantêm ao de cima quando eu vejo o resto ir a baixo.

Mas a falta de coragem para dizer meus pais que encontrei o que me faz feliz e que não quero seguir turismo  ou outra coisa qualquer deixa-me reprimida e muito mas mesmo muito mal humorada comigo mesma.

Já para não falar na economia e como isso pode arruinar o sonho da minha vida.






 

domingo, 24 de março de 2013

Momentos #10


Aquele momento em que sabes que vais ouvir algo interessante. 

A frustração que o subconsciente me deu.


Ninguém me contou que a certa altura as respostas de outros não iam chegar para poder descansar a minha cabeça durante a noite. Ontem tomei conhecimento de coisas que deviam chegar para por o meu único assunto pendente de volta na caixa que diz "PASSADO", mas não foi isso que aconteceu, eu fiquei com mais perguntas, com duvidas e infelizmente com vontade de falar contigo. 

Visto isto a minha imaginativa cabeça decidiu que eu tinha que ter esta conversa enquanto o meu corpo cansado e um pouco dormente descansava. E a conversa correu desta maneira:

És feliz com ela a teu lado?
...
Tu ama-la? 
...
Espero que um dia não te arrependas de nada como eu me arrependi de te ter deixado fugir. Eu ainda gosto de ti se não mais do que te lembras, sabes onde me encontrar se algum dia precisares de alguma coisa. 

E depois o sonho acabou, acordei com má disposição e com uma dor no peito por não ter ouvido as respostas que estavas a dar-me, mesmo que visse a tua boca a mexer.

Obrigado subconsciente por me torturares mais que ajudas.

segunda-feira, 18 de março de 2013

O meu coração devia ter bom senso.

Por mais que tente ainda me pesa o coração quando penso que possas estar mal, ou que estejas infeliz  seria fácil perguntar como estás mas ao mesmo tempo seria um pesadelo as consequências dessa simples pergunta. Este amor está entranhado em mim, já começou a apodrecer com o tempo mas parece não querer sair do seu lugar, seria uma rapariga livre se isso acontecesse. 

Toda a gente pensa que eu enterrei te com o meu passado, que já não sofro, mas não é verdade. Tem dias em que és o meu sonho mais colorido e outros apenas um pesadelo que joga com a minha mente, nunca pensei deixar que um amor me matasse aos poucos, mas este esteve quase perto. 




sábado, 16 de março de 2013

Momentos #9



Aquele momento em que não temos força para nada e que ficar na cama é a única coisa que faz sentido no mundo.

terça-feira, 12 de março de 2013

Já não é fácil.

Não é fácil, destruí muito e ganhei pouco.

Escolhi o caminho das mentiras, da dor, ou seja, escolhi o caminho errado, não devia ter dito que era capaz de mover o mundo sozinha. Na verdade só falhei ao tentar, mesmo que o objectivo fosse ser capaz de ver a luz que tanto espero, mas agora choro escondida na escuridão, num canto remoto na minha cabeça. 

Ainda não sei pedir ajuda com facilidade, ainda não sei se quero estar bem, ainda não sei se sou uma pessoa melhor, ainda não sei se consigo lutar contra o que para os outros é normal. Não sei se sou capaz de respirar sem soluçar por não me sentir bem comigo mesma. 

Os pesadelos voltaram, as noites mal dormidas vieram de novo, o mundo já não parece tão fácil como à poucos dias. 

Viver já não é tão fácil 

segunda-feira, 4 de março de 2013

Para a onde?

Há pouco tempo passou me pela cabeça em fugir, mas logo a pergunta que se impõe sempre veio ao de cima: Para a onde? 

No fim do dia por mais que queiramos fugir dos nossos problemas nem que fosse só por 5 segundos, todas as memorias acumuladas até ao dia presente, chegariam em forma de trovão. Podemos fazer birra, dizer que não interessam e que já não contam para nada, que só nos fazem ver o que já não temos e o que amámos, odeio dizer isto mas é o que penso das minhas memorias, até as boas. 

O ponto está, em mesmo que fossemos para a ilha mais remota do planeta não iríamos esquecer o que fomos no passado, mesmo que estejamos longe de todos os gatilhos que possam fazer disparar as memorias melhor que balas. Porque nós somos o próprio gatilho, não só por fazemos parte dessas memorias mas porque os sentimentos nelas só nós os entendemos e sabemos chama-los pelos verdadeiros nomes. 

De tudo o que me lembro o mais difícil esquecer são os sentimentos, as lutas contra nós próprios os erros e a desilusão e muitos destes sentimentos estão pegados as memorias, principalmente a muitas das minhas. 

Escolher entre fugir e ficar, escolho ficar, tenho sempre mais hipóteses de fazer memorias novas, mais bonitas e que brilhem até ofuscar as velhas e feias.




sábado, 2 de março de 2013

Apenas do pior, podemos destingir o que é o melhor.


Já pensei em chamar por ti, já parti tudo a correr atrás de ti, perdi a minha cabeça ao pensar em ti, não há mentalmente e fisicamente mais nada que possa fazer por ti ou por o que penso ainda sentir. Chorei e arranhei metade da minha alma nos espinhos que memorias e arrependimentos possas ter trazido para o meu mundo, não tenho nenhuma esperança que possa agarrar de novo as tuas mãos junto ao meu peito e dizer tudo o que ficou no silencio. 

Sei que esperar por alguém que não vai voltar é estúpido e que se insistir o mundo ao meu redor vai seguir em frente e eu vou ficar aqui, neste mesmo sítio, à espera de um sinal ou dádiva da tua presença. Recordar que erramos só torna o esquecimento mais difícil. 

Mas por mais sozinha e perdida que possa estar, não me arrependo do que fiz ou disse, não me arrependo das escolhas, porque toda a minha curta vida pus na minha cabeça que, temos que lidar com as consequências e que merecemos o pior ou melhor que elas nos tragam. As coisas estão diferentes, o mundo é um lugar onde é imprevisível saber o que está reservado para cada um de nós, temos que nos habituar ao que ele nos mostra e estar atentos ás oportunidades que ele dá. 

Sofrer não está na lista das coisas perfeitas, nem queremos sofrer toda as nossas vidas aqui. Conjugar o que acontece aqui é apenas uma preparação para o que já está escrito no nosso futuro, apenas no presente conheces as maneiras para um futuro melhor. Mas nunca sem dor, a vida, o mundo a dor e a felicidade são um circulo enorme que ninguém sabe girar de maneira a escolher o melhor. 

Apenas do pior, podemos destingir o que é o melhor.  



quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Bedside Thoughts #13

Sonhar é fácil  não é complicado, basta adormeceres e a tua mente faz o resto do trabalho por ti. E quando vais dormir com medos ou algum tipo de problema pode ser o suficiente para a tua mente dar um presente envenenado enquanto tentas descansar e "fugir" do que estas a passar no mundo real, o nome desse presente envenenado é pesadelos.

Ninguém os pede, sejam bons ou maus, e muitos acreditam que tenham algum significado, já eu apenas os tenho, bons ou maus, e unicamente acredito que eles são só a nossa imaginação misturada com uma dose de cansaço em cima.

O dia de amanhã ninguém o viu, só sonhou e mesmo assim não sabe se vai ser real.




sábado, 16 de fevereiro de 2013

Um pouco de som é sempre bom #2

Momentos #8




Aquele momento em que precisas de ser salvo por alguém, já que a tua mente deixou de obedecer. 

Quem não vê quem ama, não deixa de amar.


“Sabes... quando olhei para ti naquele jardim, estavas alegre e cheia de vida. Pensei muito antes de vir aqui.
Naquele dia que virei costas jurei que nunca mais ia roubar esse sorriso e esses sentimentos de ti, mas fui fraco deixei que o egoísmo falasse mais alto, não me devias deixar entrar, mas só queria assegurar que estás bem e ver nós teus olhos o quanto me odeia para poder desaparecer novamente.”

Depois do discurso dele tentei falar, mas a minha garganta estava seca, mesmo assim consegui dizer algumas palavras.

“Passaram 4 anos, o mundo não foi bom para mim como podes imaginar, eu ainda acordo durante a noite com medo e em sobressalto e sinto falta dos teus braços para me apagar más memorias, mas com o tempo aprendi a lidar com os pesadelos e com tua ausência, ver te e ouvir te não está a ajudar à causa, mas..”

Abri a porta e lá estava ele, com a mesma cara, o mesmo cabelo, até o mesmo olhar mas com a diferença da tristeza que lhe definia mais o rosto e tornava os olhos mais profundos. Ganhei folgo e continuei.

“Como disse passaram quatro ano, sem ti, agora que viste que estou bem e que estava a imaginar coisas podes voltar ao teu lugar, para a escuridão e deixar me sozinha novamente.”

Ele parecia ter ficado espantado só que quando olhou para mim viu que a mentira estava escrita nos meus olhos, deu um passo em frente e tocou-me o rosto.

“Não tens jeito nenhum para mentir rapariga.”

Desviei o rosto e encarei-o.

“Sabes que não gosto de mentir, não te odeio nem nunca vou conseguir isso, por mais que querias ou que precises disso. Apesar de tudo não quero que me deixes sozinha e não podes odiar uma pessoa só porque quer o teu bem,mesmo que isso não te deixe feliz.”

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Bedside Thoughts #12



Não quero gritar, não gosto de estar no meio das tempestades, abomino certos tipos de multidões, não gosto de criticar alguém que não saiba aceitar criticas, não gosto de julgar porque todas as pessoas têm as suas próprias razões para fazer o que fazem, não gosto de discutir teorias com quem não sabe do que está a falar, não gosto de mentiras a partir do momento que destroem a vida de alguém.

Este mundo pode ser de milhares, mas se eu souber o que não gosto, será mais fácil desfrutar da vida sem pensar no que as outras pessoas não gostam sobre mim.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Frases Que Marcaram A Minha Vida #9



Filme: Now Is Good

Entre a fama e o proveito, existe a realidade de alguém.

  Há quem me acuse de reclamar muito sobre a minha vida e de ter tudo o que quero, por isso achei melhor tirar o proveito da fama e contar uma história:

  Durante 3 meses da minha vida pensei que estava morta, não sentia nada, e chorar era o meu instinto básico, olhei muitas vezes a porcaria do espelho para ver se via alguma coisa mudar, mas não, o que mudava eram as olheiras que se tornavam mais fundas, os traços da minha cara ficavam mais vincados, os lábios estavam secos devido ao tabaco e à pouca agua que bebia. Durante esse mesmo tempo pensei na melhor maneira de partir, e assustadoramente cheguei a conclusão que queria uma coisa sem muito drama e que não chocasse completamente a minha família, nesse tempo escrevi que nem uma louca a uma amiga minha que na altura nem queria ver me. Havia dias que me sentia uma drogada na reabilitação, não estava longe da verdade, mas também não era uma realidade certa. Ainda hoje tenho pesadelos com esses tempo em que não conhecia mais nada para alem do meu quarto. 

  Foi assustador, mas muito esclarecedor, pensei que precisava de um numero e apenas preciso de qualidade, jurei ser melhor para os meus amigos, mas quando chegas à conclusão que a vossa amizade com certas pessoas não vai passar de sorrisos educados e momentos cordeais percebes que essa pessoa é apenas um numero e que não vale a pena a atenção que lhe deste. 


domingo, 27 de janeiro de 2013

Bedside Thoughts #11


Eu sei o que é perder a cabeça, sei o que é odiar uma pessoa e sentir até aos últimos ossos e terminações nervosas que ela devia ser acidentalmente teleportada para outra dimensão, mas quando a neura passa a racionalidade tem espaço para trabalhar de novo. 

Basicamente o que estou a dizer é que eu passei por aquilo que disse a cima, mas sobre mim mesma. Eu odiei a minha pessoa durante tanto tempo que a realidade agora parece um sonho, não estou a dizer que me amo e me venero, mas já não sinto vontade de me destruir.

Isso é bom.  


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Está na altura de falar.


 Aprendi que tenho que gritar por ajuda ao mínimo sinal em que não estiver bem, não posso engolir tudo o que as pessoas querem, não posso desculpar todas as atitudes que as pessoas têm  não posso acreditar em todas as promessas que as pessoas fazem porque é natural que uma ou outra esteja a mentir ou simplesmente não a cumpra, não me posso dar ao luxo de olhar os confins do inferno outra vez e ser capaz de virar costas novamente. 

 Nunca pedi ajuda e se não o tivesse feito provavelmente agora não estava aqui, ainda não sei quem ou o que puxou o gatilho para me levar ao fundo, mas hoje em dia prefiro não saber. Não quero culpar ninguém, ou algum evento da minha vida. Só quero esquecer e seguir em frente, ser uma pessoa melhor. 

 Estou farta de estar sozinha por escolha própria e do mundo.    

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Será que depois..

Tu que viste o mundo dela cair aos teus pés, que viste a alma dela em pedaços no chão sujo da estrada onde caminhas todos os dias, será que depois de veres a parte mais terrível do mundo em que estamos hoje achas que podes mudar as histórias da humanidade, aquelas que contam como os pequenos deviam ficar em baixo e os grandes cima, aquelas mesma histórias que te puseram um rotulo a ti e iram rotular os teus filhos. 

Destruir a vida de alguém é fácil porque não tiveste o trabalho de a construir  mas cuidas da tua como se fosse o melhor e maior diamante do mundo, será que depois de tudo o que passaram juntos é assim que queres ser lembrado, como um covarde egoísta e egocêntrico que trocou a pessoa que mais o amava por uma suposta vida melhor? 

Sabes que não te odeio, eu sei que tu sabes. Um dia vais voltar, vais olhar para a destruição que ignoras agora e ver os pedaços mais lindos dela arruinados, será que depois vais gostar do que vês? Eu jurei dar te o mundo, jurei tanto que comecei a ver que não ia ser fácil lidar com quanto me ignoras agora. A revolta que senti na altura aumenta mas mesmo assim só consigo ver os meus erros e saber que foi algumas atitudes minhas que te fizeram destruir tudo. Será que depois de tanto tempo eu devia esquecer? A resposta é rápida e imediata a vir à minha cabeça: 

Sim

Recentemente vi um filme #1

 As Vantagens de Ser Invisível 

Chorei, ri e voltei a chorar, as musicas, as falas, tudo pareceu bater certo e a para alem disso tudo o que parecia ser um filme para outcast, é mesmo. Não estou a por rótulos, porque a vida ensinou-me que isso é estúpido, mas este filme tocou na ferida que guardo, ninguém escapa ao escrutínio de fazer amizades, à vontade te proteger outros iguais a nós, não só com as mesma histórias mas com o mesmo objectivo, serem notados, serem amados por outros, ninguém pediu para aqui estar mas já que estamos vamos olhar à nossa volta.

Ser invisível pode ser doloroso, mas se encontrarmos as pessoas certas para serem invisíveis connosco a dor fica mais pequena. 

Aconselho.



Conforto

Eu, em particular, encontro conforto nas coisas mais estúpidas que andam por ai, mas não só, conheço o conforto de uma musica, de uma frase tirada de um livro ou da ligação que fazemos com certos filmes. Posso dizer que a musica, os filmes e os livros salvaram a minha vida e impediram me de ser uma adolescente revoltada, descobri que sou capaz de ultrapassar as coisas por mais complicadas que sejam, e isso foi um conforto. 

Ultimamente tenho andado em baixo e sem vontade de reagir, o que para mim já é estranho e para a minha idade não é politicamente correto, devia ter tudo articulado na minha cabeça, tudo no sitio certo e devia estar pronta para a acção. Mas não, nem tenho respostas para perguntas sobre: se vou ficar bem e se tudo vai correr bem. 

Talvez a minha vida seja assim, uma pilha de tralha que nem eu sei arrumar.

  

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Tudo voltou ao seu lugar. Tu no passado e eu aqui na minha vida.

Foi como encarar uma realidade há muito esquecida, ouvir falar de ti, saber que estavas bem foi talvez o maior erro, não estou a culpar quem em disse que ainda existias, ou a culpar as maneiras como voltaste a reinar o meu pensamento porque sei que a cima de tudo a culpa foi minha por te ter deixado entrar. 



Agora que a minha mente está mais calma e tu finalmente desapareceste, posso ter um pouco de descanso e apreciar a fina saudade que tu me deixas sem ficar louca.  

Um pouco de som é sempre bom.

Momentos #7




Aquele momento em que a humanidade diz que és maluco/a e tu dizes: "Com muito gosto!" 

Frases Que Marcaram A Minha Vida #8




Rei Leão 

domingo, 13 de janeiro de 2013

19

Fiz anos ontem, correu bem.

Sabem o que entendi ontem? Que cada pessoa tem um papel na nossa vida, tem um tempo e hora exacta para estar perto de ti. E com o tempo, a distancia e o resto à nossa volta, as preocupação e problemas, a raiva e a desilusão, o desejo e as vontades vão ficando mais pequenos, até estarem completamente sarados e sem crostas que a maldade do ser humano possa arrancar.

As pessoas vão e voltam e só o tempo dirá se algumas vêem para ficar ou estão só novamente de passagem. Eu não quero perder quem voltou para ficar, mas há muita gente que devia estar a meu lado e não está, apesar de doer eu entendo que a vida é assim tira uns e dá outros, mas o nosso coração não entende o que são as leis da vida porque aquela pessoa não foi nem é algo de negativo.

No ultimo ano tive dias difíceis, agora sei que foi uma fase e que tenho de cuidar mais de mim, tenho que olhar por mim para dar o meu melhor a quem está comigo ao longo dos tempos.  



sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Frases Que Marcaram A Minha Vida #7



The Big Bang Theory

Resoluções AKA Fracasso

Eu fiz uma lista de coisas que gostava de melhorar este ano, mas no minuto a seguir fui olhar para elas e já não faziam nenhum sentido. Pensei que se escrevesse o que gostava que mudasse, o que estava a sentir pudesse ir embora, mas enganei-me. 

Fazer resoluções não é uma das melhores ideias, acabamos por ter muitas expectativas em nós próprios e como qualquer ser humano que se sinta em risco de mudança ou de perigo, metemos o rabo entre as pernas e corremos o mais que podemos. 

Não digo que haja pessoas que realmente seguem as listas e resoluções para este ano e que consigam, porque sei que há por ai muito bom maluco que lida com a pressão melhor que eu.  Já eu prefiro ir vendo e o que tiver que mudar, mudo. 

Momentos #6




Aquele momento em que se matar não fosse crime já muita gente que te lixa tinha morrido. 

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Será fugir uma opção ou um erro.

Eu aceito a realidade, aceito que o passado não volta atrás mas nada me impede de sonhar mais alto do que devo, nada me impede de querer mais do que tenho, de querer mais do que é bom e menos do que é mau. Mas só sonhar, só compreender, só desejar e só querer não chega para contornarem o impossível e que sejam a realidade que temos.

Eu sabia que ia ser difícil limpar o meu sistema de tudo o que foi mau na minha vida, de todos os problemas e sonhos que se partiram quando cai sem asas na realidade. Afoguei me nas promessa, nas mentiras e nas  esperanças falsas e conversas românticas com a minha imaginação.

Fugir nunca foi uma opção, e muito menos seria uma escolha, mas quando as saudades do passado viram o presente de cabeça para baixo mostram que a única saída seria a fuga. 

Mas será que sei fugir de ti? Será que sei fugir do que sinto?