quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Entre a fama e o proveito, existe a realidade de alguém.

  Há quem me acuse de reclamar muito sobre a minha vida e de ter tudo o que quero, por isso achei melhor tirar o proveito da fama e contar uma história:

  Durante 3 meses da minha vida pensei que estava morta, não sentia nada, e chorar era o meu instinto básico, olhei muitas vezes a porcaria do espelho para ver se via alguma coisa mudar, mas não, o que mudava eram as olheiras que se tornavam mais fundas, os traços da minha cara ficavam mais vincados, os lábios estavam secos devido ao tabaco e à pouca agua que bebia. Durante esse mesmo tempo pensei na melhor maneira de partir, e assustadoramente cheguei a conclusão que queria uma coisa sem muito drama e que não chocasse completamente a minha família, nesse tempo escrevi que nem uma louca a uma amiga minha que na altura nem queria ver me. Havia dias que me sentia uma drogada na reabilitação, não estava longe da verdade, mas também não era uma realidade certa. Ainda hoje tenho pesadelos com esses tempo em que não conhecia mais nada para alem do meu quarto. 

  Foi assustador, mas muito esclarecedor, pensei que precisava de um numero e apenas preciso de qualidade, jurei ser melhor para os meus amigos, mas quando chegas à conclusão que a vossa amizade com certas pessoas não vai passar de sorrisos educados e momentos cordeais percebes que essa pessoa é apenas um numero e que não vale a pena a atenção que lhe deste. 


1 comentário:

Isto é como no Face é só meter GOSTO (!) :b