quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Memorias (uma breve critica as memorias de amor.)

Não há nada como acreditar em historias de amor que resistem ao tempo, á perda, ao odio... Na realidade nem sempre se pode confiar nessas histórias, visto que com o tempo tudo se perde e com a perda tudo se odeia. Mas as memorias são palavras e vontades ligadas, numa corrente que não se perde, que se alimenta de ti até fazer parte das tuas veias.