domingo, 15 de abril de 2012

Conta-me uma história bonita (...)

Conta-me uma história mas, que seja feliz, que acabe bem e com toda a gente a sorrir. Quero que ma contes, não porque queira estar feliz uns minutos, apenas quero saber se ainda há pessoas que estão bem no mundo. 

O mundo tem uma maneira engraçada de nos dizer que só existimos nele porque ele quer, não porque assim devia ser, ninguém é bem-vindo aqui até o ganhar, não sei como se faz para que nos aceite, mas calculo que deva ser alguma coisa como ... perder uma perna quando se estava a ajudar uma velhinha a atravessar a estrada. Se não for algo assim, não devo estar longe.

Para todos os efeitos quero ouvir a história bonita que tinhas para me contar. 

sábado, 7 de abril de 2012

Jura, Jurem-me ou então parem.

Jurei tantas coisas a mesma, jurei tantas coisas aos outros. No fundo o que quero é parar de jurar, para de sentir, parar tudo, quero congelar-me neste momento, quero uma vida eterna com um portátil e uma maquina fotográfica como única companhia, quero ser estrela da minha vida, quero andar sobre o meu próprio destino. Jurem-me que eu vou conseguir, jurem-me que irei achar um amor para completar-me. 

Jurar é a coisa mais vaga que alguém pode fazer, mas ao mesmo tempo é aquela que move mundos, jurar não é uma promessa é só o início de uma ideia mal acabada. Ninguém sabe onde um juramento pode acabar, pode ser a condenação de um povo, uma crença ou de uma pessoa, jurar pode ser mais perigoso do que parece. Por isso deixei de jurar e comecei a realizar, comecei a andar um dia de cada vez, escrever uma palavra de cada vez, tirar uma fotografia de cada vez, mas a urgência ainda aqui está o que faz com que o meu juízo por vezes seja perturbado. 

Mas ao contrario do mundo, aprendi que jurar pode ser perigoso, mas sonhar é gratificante. 

Perdi a conta

Todas as vezes que me desculpei dos teus erros, que magoem a minha pele à procura de algum alivio, de tentar sair do escuro e respirar verdadeiramente algum ar puro, algo não estava certo. Ninguém deixa a pessoa que ama levar com as culpas de si mesmo, não deixes a pessoa que amas cravar com uma faca a inicial do teu nome na pele, não deixes a pessoa que amas entrar no escuro caminho da dor sem a puxares para fora, se amas uma pessoa faz isto um lema de vida: Não deixes que a pessoa que amas morra por dentro, não deixes que ela fique destroçada quando não a amares mais. 

Eu... perdi a conta do tempo em que culpei-me dos teus erros, perdi a conta das vezes que passei uma faca no meu braço para sentir o alivio de sangrar, perdi a conta das vezes em que a escuridão foi minha companheira, também perdia a conta de quantas vezes o ar que respirava não era o suficiente para me manter viva. 
Devo-te nada, odeio-te nada, mas ao fim do dia amo-te com tudo.

Sei que a humanidade é um poço de egoísmo nojento e repulsivo, mas há sempre alguma alma que se levanta deste mundo nojento e faz algo de bom pela pessoa que ama. Resta saber se tu queres ser uma delas. 

Errar é me natural.

Tenho medo, errar para mim é algo natural faço isso a toda a hora... é me natural. Uma vez sonhei que podia voltar atrás no tempo e corrigir todos eles, mas o resultado não me agradou porque ao emendar os meus erros apercebi-me que acabaria por não aprender nada, tudo aquilo que esses erros me ensinaram ficaria inválido, logo a probabilidade de errar no futuro era mais alta. 

Quando acordei senti-me bem pela primeira vez com os erros que cometi, tudo fazia sentido agora, levantei-me e olhei-me no espelho. Era a mesma, a mesma alma remendada que fui durante toda a minha vida, mas havia algo mais nos meus olhos, um brilho que não era típico em mim. Com esse sonho que me tinha desconcertado à uns momentos atrás, nasceu algo. Esperança.

Labirintos

Estou num sitio onde a confusão reina a casa passo, sinto-me enterrada nela até não poder mais. Cada passo que dou para a frente sinto que estou a dar cem para traz, sinto que estou a desiludir as pessoas. Por longos períodos de tempo sinto-me sozinha, abandonada por mim mesma, e o sabor do vento começa a amargar tudo o resto á minha volta, mesmo quando estou feliz quero ficar triste, pois sei que quando atingir o grau normal de realidade tudo vai amargar como sempre. E dói, dói saber que amarga. É como estar num labirinto onde só sei andar as voltas sem encontrar a verdadeira saída. Será que disser a verdade total sobre mim a quem caminha ao meu lado todos os dias me libertará deste circulo?
 Acho que vou esperar para mais uma volta no labirinto em que estou. 
Afinal não faz mal, já estou habituada. 

segunda-feira, 2 de abril de 2012

I've seen better days ..

  Eu já estive bem, ouve tempos em que me sentia inteira, calma, mas depois conheci o amor, conheci a solidão de uma paixão, conheci a dor de um amor perdido e tudo isso fez que deixasse de ser eu, passei a ser apenas uma pessoa normal dentro da minha cabeça tudo aquilo que tocava ficava em pedaços e que iria ser sempre assim, culpei-me por me deixares quando fui correta contigo. 

  Fiquei destroçada e quando se ama uma pessoa faz-se tudo para que isso nunca aconteça, ou se calhar sou eu que sonho demasiado e tal coisa não pode ser pedida porque a humanidade está demasiado cega e afogada em terror para amar verdadeiramente, para mim a definição de amor é muito simples: Dar a vida por a protecção dessa pessoa, estar ao pé dela, amar ela de todas as maneiras e confiar que ela faria tudo isto por ti. 

Será que tu consegues?

domingo, 1 de abril de 2012

Quero.

Quero que o meu corpo sinta o peso do teu, quero aconchegar te entre as minhas pernas e parar o tempo. Quero ouvir o teu coração descompassado depois de um longo beijo, quero que brinques com o meu cabelo enquanto durmo sob tua protecção.Quero que me faças desejar ser desejada. Quero que me ames de todas as formas que sabes, quero que sejas verdadeiro.Quero ser tua, corpo e alma juntos nas tuas mão.Quero saber o que é amar e ser amada, quero os dias de volta ao teu lado. Quero começar outra vez e fazer melhor. Simplesmente quero a minha razão de viver de volta.