terça-feira, 22 de setembro de 2015

Até que um dia ...


 O mundo não parou de girar, eu não parei de respirar, os meses vão caminhando para anos e tudo parece tão distante, por vezes até penso que foi tudo um pesadelo. Mas não, aprendi que não somos feitos de vidro mas sim de plasticina e a vida molda a pessoa para ultrapassar todo tipo de situações, mesmo perdendo pedaços antigos.

 Não é perceptível certas mudanças, mas num todo faz uma grande diferença. Deixamos de pensar que não somos suficientes, não somos dignos, que temos defeitos que impedem a nossa felicidade, só que no fim do dia ninguém é perfeito ao ponto de nunca sentir duvidas se vale a pena continuar. 

 A verdade é, que nunca acaba de vez as duvidas, apenas não as temos tantas vezes, os medos vão ficando para trás mas quando caiem num colo como o meu vêm com força e prontos para derrubar toda a força que me mantêm em pé, mas sabendo o que sei hoje já não me assusta os pensamentos e as duvidas que esse tipo de dias trazem, a isolação que eu me imponha foi trocada com a imposição de conviver. 

 Abrir o nosso mundo, rebentar a nossa bolha para deixar alguém entrar e desarrumar tudo o que estava organizado, parecia uma loucura, só que foi isso que me salvou, deixar entrar pessoas no meu mundo, deixar entrar amizade e amor foi a melhor coisa que fiz. Apesar de ter dias que tenho medo e duvidas das escolhas que faço sei que foi isso que mudou a minha visão, foi aprender que podia ser um ser humano normal e ter uma "historia triste" no passado e não mudar nada, nem a maneira como me vêm no presente. Erguer a cabeça do buraco e ver que há luz, que não estamos sozinhos, que estamos feitos mas não acabados era um sonho que tinha e sabia que podia ser uma realidade, só tinha que querer. 

Até que um dia consegui... 

Raquel 

2 comentários:

Isto é como no Face é só meter GOSTO (!) :b