sábado, 18 de janeiro de 2014

100mg


Tudo o que devia fazer era tomar a dose certa e parar de confundir o passado com o presente e assim não iria arrastar esta dor que tenho a crescer novamente. Acho que estou a deitar qualquer possibilidade que ser feliz pela janela por não ter certeza de ser correto para mim.

Eu estava com o controlo da minha vida e de repente foi levado pela dúvida, uma estúpida pequena duvida que sempre me prendeu os pés cada vez que sentia estar a sair desta, a filha da mãe cutuca e deixa o meu cérebro congelado. Uma dúvida que na minha cabeça soa como uma acusação maior parte do tempo.

Tu não és boa o suficiente.

Quando há uma possibilidade de sair do estado em que estou as palavras atacam a minha mente e ficam na repetição vezes sem conta até que acredite nelas. A dor é reativada, o amor que sinto pelas coisas que tenho é diminuído e assustado para um canto na minha mente e por fim reaparecem todas as barreiras que protegem a pequena e frágil rapariga que escondo novamente dentro de mim.

É tudo uma jogada rápida, um movimento de pulmões e o meu corpo gela novamente as emoções que adquiri ao longo da recuperação que pesei concluída.

Só ai entendo que a cura está longe e só com as doses certas encaixarei na sociedade novamente. 



Sem comentários:

Enviar um comentário

Isto é como no Face é só meter GOSTO (!) :b