segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Fim do Ano

É bom quando temos o controlo das nossas vidas, quando conseguimos ver para alem das barreiras postas a nossa frente para falharmos a saída mais próxima para a felicidade, temos o dom de escolher se queremos seguir em frente ou ficar no mesmo lugar, mas o problema é pôr em acções. 

Liberdade nem sempre significa mais felicidade, ou poder de controlo sobre nós próprios apenas significa que se te acontecer alguma coisa a única pessoa que tem culpa és tu mesmo. Falamos de escolhas e como somos nós os donos delas, mas por outro lado falamos no destino, o que tira a credibilidade das nossas escolhas porque na realidade elas já estavam feitas. 

A humanidade é feita de contradições, tradições e pregões, somos enraizados na história dos que já foram vivos e nas promessa de grandes feitos daqueles que ainda não morreram. Somos corpos que dizem ter almas e que o castigo será o fogo do inferno para aqueles que acharem pelas próprias cabeças.

De tudo o que vi e ouvi apenas isto tenho a dizer: 

Quando o fim do ano chegar ninguém terá feito as escolhas mais importantes, ninguém terá seguido o caminho certo, seremos os mesmo mas com mais bagagem, e para o ano há mais, mais dor, mais alegria, mais ódio e mais amor. E como sempre, mais escolhas e consequências que iram atormentar e assombrar os dias daqueles que pensavam ser livres de tudo.  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Isto é como no Face é só meter GOSTO (!) :b