domingo, 19 de fevereiro de 2012

Podia. Devia. Seria.

 Uma cara, pode condicionar tudo aquilo que pensas, pode controlar tudo aquilo que sentes. Um a cara pode significar tanta coisa que demoraria um eternidade escrever sobre isso, e como hoje tenho tudo menos forças para descrever o que sinto, vou apenas limitar-me a dizer o que devia fazer:

Devia esquecer esta cara, apagar todas as coisas (incluindo as más) que passei por esta cara ou que passamos juntos. Não devia ter tanta vontade de chorar quando a vejo, devia viver a minha vida mas não vivo porque não encontro o meu caminho, pelo menos não por agora. Devia ser capaz de deixar tudo no passado e arrastar as lições que tenho desta história comigo para o presente, devia deixar de amar uma cara que já não me conhece, ou serei eu que já não a conheço?

Como podem reparar o que eu devia fazer, e sublinho DEVIA, não é pouca coisa. Mas não posso, a correntes que me prendem a essa cara são fortes, mas pelo menos sei perfeitamente o que devia fazer.

Podia. Devia. Seria.

1 comentário:

  1. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderEliminar

Isto é como no Face é só meter GOSTO (!) :b