sábado, 3 de dezembro de 2011

"Como estás?" A pergunta que tem sempre uma resposta falsa. Está é a verdadeira, prometo.

  Estou como posso, um dia vou morrer e olhar para trás e ver que devia ter sido mais feliz, que devia ter rido mais, amado mais e quem merecia o meu amor. Mas agora tudo me parece banal e muitas vezes sem sentido por isso há dias que me limito a respirar e ultrapassar o dia sem mais mazelas, os meus olhos contam histórias assim como os meus pulsos, talvez as mais tristes mas as que fazem parte de mim, do que me tornei depois da tempestade. 
  Em mim guardo tudo, seja mau ou bom. Guardo todos os risos, todas as lágrimas, todos os meus amigos, todos os que me viraram costas, todas as derrotas, todas as vitoria, todos os amo-te que me disseram e todos os sorrisos quando me ouviram dizer esta mesma palavras.
  Nunca me passou pela cabeça que me pudesses fazer tão mal, mas também nunca pensei que te pudesse esquecer, e finalmente posso dizer que não te amo, que fazes parte do passado e que não voltas mais. 
  Ao dia de hoje posso dizer que me levantei com vontade, com toda a confiança em mim e toda a força que arranjei da profunda dor que passei. Neste mesmo dia posso dizer que na minha cabeça só estou eu.

Que agora posso ser feliz, é só construir a estrada.

2 comentários:

  1. Amei amor *.* Aliás , amo todos os teus textos <3 Escreves tão bem :)

    ResponderEliminar
  2. É tão saber que estás bem Caramelo*
    Finalmente podes começar de novo :)

    Amo-te <3

    M'

    ResponderEliminar

Isto é como no Face é só meter GOSTO (!) :b