sábado, 3 de maio de 2014

Regenerar


A definição é compatível com esquecer mas não é a mesma coisa, é como se fosse um placebo fármaco em vez do químico verdadeiro. Como por exemplo, um trauma grave, o ser humano pode regenerar do trauma mas pode nunca vir a esquecer completamente, devido a sequelas na pele, no cérebro ou para ser um pouco mais lírica, na alma.

A mente e corpo podem ser trabalhos e a alma ganha alento com o tempo, mas nada vai tirar aquele zumbido horrível que fica no fundo do teu sono, aquele quando estás a sonhar, aquele que faz lembrar o longo e doloroso processo que é regenerar, que é nem sempre ter avanços, e que infelizmente tem dias em que preferias deixar de existir.

A impotência de querer esquecer algo que ainda não quer ser deixado para trás deixa-te com medo de olhar para todas as coisas positivas que a regeneração fez contigo, todas as portas que abriu, todos os caminhos novos e pontos de vista que estavam turvos e agora são positivos e alegres.

Por isso, não, o ser humano não tem a capacidade de esquece, nem o mal que fez nem o que lhe foi feito, porque apenas lhe foi dado a oportunidade para regenerar das sequelas provocadas por ele mesmo e por outros. 

Mas há sempre um nanosegundos do dia em que a nossa memoria foge e vai divagar para o que queres realmente esquecer. E esqueces. Mas só por um nanosegundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Isto é como no Face é só meter GOSTO (!) :b